A Vingança do Carro Elétrico

Elon Musk ou Steve Jobs

Model 3, o carro elétrico de baixo custo da Tesla Motors.

No último dia 31 de Março, a Tesla Motors anunciou o lançamento do seu tão esperado Model 3, o carro elétrico de baixo custo da montadora. Pelo preço razoável de U$35.000 dólares (preço médio de um sedã novo nos Estados Unidos), a Tesla cumpre com mais uma etapa da sua missão hercúlea de tornar os carros elétricos acessíveis para as massas o mais rápido possível.

Como em todo empreendimento industrial, as primeiras unidades tendem a ser mais caras, passando pelo barateamento na medida em que a produção aumenta. Isso é chamado de economia de escala, fenômeno caracterizado pela expansão da capacidade de produção de uma empresa ou indústria sem um aumento proporcional no custo de produção. Como resultado, na medida em que há um aumento da produção o custo médio do produto tende a ficar menor.

Elon Musk, o CEO da Tesla Motors, sempre soube muito bem disso e por isso construiu a maior fabrica de baterias íons-lítio do mundo em parceria com a Panasonic, no Estado de Nevada, para acelerar a produção. Além disso, está construindo a maior rede de recarga elétrica ao longo das principais rodovias americanas, europeias e asiáticas, onde seus clientes terão o direito de recarregar seus carros gratuitamente. E paralelamente a isso tudo, lançou seus automóveis em sequência, do mais caro ao mais acessível, com o objetivo de chegar exatamente neste marco não somente para uma de suas empresas disruptivas (SpaceX e SolarCity constituem outras empresas inovadoras sob sua gigantesca responsabilidade), mas também para a indústria automobilística como um todo. Desafiando não apenas a concorrência, mas toda uma indústria que abrange desde o setor petrolífero, passando pelas distribuidoras de combustível, pela indústria de autopeças e acessórios e até alcançar as grandes montadoras mundiais, o que Elon Musk está fazendo com sua pequena Tesla Motors é de cair o queixo até dos mais poderosos opositores ao carro elétrico.

O Model S, por exemplo (um sedã de luxo lançado em meados de 2012), recebeu o prêmio de Carro do Ano pela revista Motor Trend, na primeira eleição por unanimidade da revista, concorrendo com marcas consagradas como Porsche, BMW, Lexus e Subaru. Alguns meses depois, a revista Consumer Reports elegeu o Model S como o melhor carro já construído, dando a maior nota da sua história: 99 pontos em 100! Ou seja, em menos de 10 anos de existência (a empresa foi fundada em 2003), a Tesla não produziu apenas o melhor carro elétrico já construído e sim o melhor automóvel entre as marcas mais renomadas do mercado, sendo a primeira vez em que um carro sem motor de combustão interna garantiu a máxima pontuação em um setor tão tradicional como é o mercado automobilístico norte-americano. Tanto é que, depois dessas avaliações, as ações da Tesla dispararam e empresas como a General Motors formaram equipes para estudar o Model S.

E não é apenas o carro. Empreendendo contra tudo e contra todos, a complexa mistura de teimosia, ousadia, visão, missão, excentricidade e genialidade de Elon Musk tem se tornado objeto de estudo no mundo dos negócios também. E como se tudo isso ainda não bastasse, Elon Musk vem se transformando em uma personalidade adorada por uma crescente legião de fãs, os quais se manifestam de forma semelhante aos Apple maníacos nas tradicionais Worldwide Developers Conferences (como vocês poderão confirmar ao assistir o entusiasmo da platéia no vídeo de lançamento logo abaixo). E é aqui justamente que Elon Musk parece ter se inspirado na perspectiva de missão que sempre guiou o comportamento de Steve Jobs.

Essa inquebrantável missão de transformar os negócios em meios de atingir um impacto socioambiental, tecnológico, cultural e até civilizatório (vide os planos audaciosos para o futuro da SpaceX que incluem até a colonização de Marte) tem provado cada vez mais o seu sucesso no tradicional mundo dos negócios. Isto porque a sociedade se encontra muito mais consciente e preocupada com o seu próprio destino, tendo na Internet a sua principal forma de comunicação, geração de conhecimento, organização e articulação, revolução cultural que gera a perspectiva de urgência por um mundo muito mais inteligente e sustentável.

Embora eu tenha sido um grande admirador de Steve Jobs, eu reconheço que, neste aspecto de amplitude de impacto na sociedade, o Elon Musk está levando uma ligeira vantagem. Que me perdoe o saudoso Steve Jobs, mas o que Elon Musk vem fazendo em setores tão distintos da indústria tem superado o gigantesco legado de Jobs, na minha humilde opinião. Não que isso seja algo importante (saber quem é melhor, se é que isso é possível de ser mensurado), mas é que, em termos de popularidade, o Elon Musk ainda está longe de Steve Jobs (e é aqui que eu entro com o meu papel de divulgar o seu trabalho e equilibrar essa balança).

E para provar o que eu escrevi logo acima e o quanto que toda a minha argumentação ainda está plenamente alinhada com os tão preciosos lucros, os números apontavam para a encomenda de 276 mil unidades do Model 3 apenas nas primeiras 72 horas após o lançamento (o dobro do esperado pela montadora).

Veja abaixo o vídeo de lançamento do Model 3 na sede da SpaceX, em Los Angeles, California:

Este blog é um oferecimento da Afronta Marketing.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s