SpaceX Testa com Sucesso o Primeiro Foguete Reutilizável

SpaceX_Falcon9
Foto de longa exposição da Falcon 9, decolando e depois aterrissando (imagem mais ao fundo) no Cabo Canaveral.

A minha intenção era terminar o ano com a postagem sobre o novo episódio de Star Wars. Mas depois do gigantesco feito da SpaceX no dia de ontem, eu não poderia deixar passar batido essa notícia.

Quem acompanha este blog sabe que eu sou um admirador do Elon Musk, o Tony Stark da vida real (para quem ainda não conhece esse icônico empresário do século XXI, seguem as postagens “Como a Cultura Pode Matar ou Salvar Sua Empresa?”, “Líderes Ensinam, Chefes Mandam”, “O Empreendedorismo Como Salvação da Humanidade”, ” 21 Segredos da Mente Milionária” e “Empreendedorismo de Sucesso” que mencionam um pouco sobre os feitos desse empreendedor extraordinário). Ao ser o CEO de 3 empresas revolucionárias como a SpaceX, Tesla Motors e a Solar City, Elon Musk tem provado ser um verdadeiro divisor de águas em 3 diferentes mercados de atuação.

E ontem foi um dia histórico para a SpaceX, uma das empresas disruptivas de Elon Musk.

O feito histórico

Ontem, dia 21/12/2015, pela primeira vez na história da engenharia aeroespacial, um foguete foi lançado para fora da órbita terrestre colocando 11 satélites em órbita para, em seguida, o primeiro estágio da Falcon 9 (nome do foguete) retornar para pousar verticalmente em segurança quase que no mesmo ponto de onde decolou. A façanha impensável há uns 5 anos abre caminho para extraordinárias reduções de custos no lançamento de foguetes, incentivando diretamente a corrida pela exploração espacial.

É verdade que em novembro deste ano, a Blue Origin, companhia espacial de Jeff Bezos (fundador da Amazon), lançou um foguete ao espaço que também foi capaz de retornar à Terra, após alcançar 99,7 mil metros de altura. Todavia, a façanha da SpaceX foi mais espetacular ao efetuar o serviço para o qual foi contratada (lançar os satélites) e depois voltar com o primeiro estágio da Falcon 9 são e salvo.

Péssimo modelo de negócio

Para quem não sabe, os foguetes até então eram completamente descartáveis. Seus destinos eram normalmente o fundo do oceano e, com isso, milhões de dólares eram literalmente jogados no fundo do mar, encarecendo absurdamente as viagens espaciais. Com a façanha de ontem, não apenas o caminho para a exploração espacial pode ficar muito mais acessível, como também pode acelerar os planos de colocar seres humanos em Marte e depois trazê-los de volta.

O que a SpaceX está fazendo sozinha em 13 anos de existência foi o que governos de países inteiros não conseguiram fazer ao longo de 50 anos: baratear os custos gerais e agora reduzir drasticamente os custos de lançamento. Como até então eram os governos que dominavam a tecnologia de engenharia aeroespacial, a preocupação com eficiência e a redução de custos nunca foi levada a sério na exploração do espaço. Mas ao cair nas mãos da iniciativa privada, mais precisamente nas mãos de Elon Musk, fica patente que a abordagem dessa indústria como negócio vem rendendo avanços inestimáveis para o setor.

Imaginem, por exemplo, que empresas como a Avianca, Lufthansa, Delta, SouthWest Airlines,TAM, Azul, etc, dispensassem seus aviões após cada decolagem. Por mais que essa lógica possa parecer insana, foi assim que a indústria aeroespacial sempre trabalhou. Agora, com a cabeça de um empreendedor típico de Silicon Valley e uma personalidade visionária somente equiparável à de Steve Jobs, Elon Musk sabe sobre a imensa importância de se cortar os custos para tornar a exploração espacial acessível e rentável. Mais do que isso, entende que o meio ambiente deve ser respeitado e, por isso mesmo, já vem trabalhando dentro de filosofia de eficiência que tem se mostrado altamente promissora para o futuro dessa indústria e, quem sabe, até para o futuro da humanidade.

Desafiando o status quo

Não, eu não estou sendo piegas ou ingênuo. Elon Musk pensa nessa magnitude de grandeza e tem demostrado competência para tal, indo contra tudo e contra todos em suas respectivas empresas ao quebrar arraigados paradigmas em todos os seus setores de atuação.

Mercados maduros como o automobilístico e o espacial tiveram que se curvar perante a inabalável insistência (e por que não dizer teimosia?) de Elon Musk em seguir em frente com seus projetos impossíveis aos olhos de quase todos os especialistas desses setores. Mais do que isso, lutar contra os gigantes desses respectivos mercados foi considerado por muitos como um suicídio mais do que garantido. E ele foi derrubando as muralhas dos interesses, do corporativismo e do oligopólio, uma a uma. Remar contra a maré, neste caso, passou a ser uma metáfora muito leve para esse excepcional líder empresarial. Ele tem remado contra um tsunami…

O espaço é o limite

É assim que Elon Musk promete (não só com a SpaceX mas também com a Tesla Motors e com a Solar City) impactar a humanidade de uma forma em que os governos jamais tiveram a coragem, a iniciativa e a inteligência de empreender, posicionando a iniciativa privada na resolução dos problemas mais prementes de nossa era, ao mesmo tempo em que fomenta os mais altos lucros.

Não há na atualidade nenhum empreendedor à altura dos feitos de Elon Musk.

Assista abaixo a cobertura do lançamento da Falcon 9:

Este blog é um oferecimento da Afronta Marketing.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s