Só a Educação Salva!

PalestranteO que o Brasil e a Coréia do Sul possuem em comum? Bom, como a grande maioria poderá deduzir, quase que absolutamente nada. No entanto, vocês ficariam surpresos com o fato de que o Brasil e a Coréia do Sul já foram nações muito parecidas até a década de 1960. Ambas as nações passaram pelo domínio de regimes militares e, como em muitos países subdesenvolvidos da época, a Coréia do Sul apresentava taxas de analfabetismo que beiravam os 35%. Atolada em corrupção e índices econômicos desastrosos, a renda per capita sul-coreana equivalia à do Sudão, na África. O Brasil, no período, ainda estava melhor do que a Coréia, apresentando o dobro da renda per capita sul-coreana com a vantagem ainda de não ter sofrido os efeitos diretos da Segunda Guerra Mundial, fato que deixou o país e a economia do nosso companheiro do oriente em um estado deplorável.

Mas hoje, 50 anos depois, observamos um enorme abismo entre essas 2 nações. A Coréia do Sul apresenta uma economia muito forte, capaz de triplicar a cada década. Sua renda per capita cresceu 260 vezes desde os anos 1960, o analfabetismo foi quase que erradicado e 82% dos jovens possuem acesso ao ensino superior. Com um nível de bem-estar muito melhor que o do Brasil, 80% das crianças sul-coreanas passam 10 horas diárias nas escolas, onde um professor experiente do ensino fundamental fatura um salário médio mensal de 6.000 dólares. O Brasil, a título de comparação, apresenta uma renda per capita 3 vezes menor, uma taxa de 13% de analfabetismo (com apenas 18% dos jovens matriculados em universidades) e uma política salarial para professores que é de dar pena. É óbvio que a situação do Brasil também melhorou, mas estamos avançando a pé enquanto que a nação sul-coreana viaja confortavelmente de Hyundai. Ironias à parte, hoje a Coréia do Sul é a maior economia dos tigres asiáticos, contando com algumas das empresas mais poderosas do planeta como Samsung, LG, Hyundai, Kia, DaewooPOSCO e SK Group.

Mas como se explica uma diferença tão grande entre esses dois países nos dias de hoje, sendo que as condições desfavoráveis eram parecidas na década de 1960, com a ressalva de que a situação da Coréia do Sul era ainda mais complicada do que a nossa?

Resposta: educação, educação, educação e mais educação!

Com investimentos pesados e ininterruptos em educação ao longo de todos esses anos, a Coréia do Sul canalizou grossas verbas para o ensino fundamental e médio de uma forma obstinada e continuada, enquanto que o Brasil preferiu investir modestas quantias apenas em universidades com projetos míopes e descontinuados a cada troca de governo (isso sem falar no desvio de recursos públicos ao longo de 5 décadas, questão que seria impossível de mensurar e monstruosamente triste de explorar por aqui).

Mas antes que alguém levante a bola de que tal comparação é infantil, pois há enormes diferenças de tamanho de território e de cultura entre os 2 países, há que se levar em conta também a situação da Coréia do Sul na década de 1960, a qual era ainda pior que a do Brasil. Portanto, por mais que existam diferenças inegáveis entre os 2 exemplos e apesar dos senões da turma do óculos com lentes cor-de-rosa, não há desculpas para o Brasil. Nem mesmo aquela desculpa clássica de que o nosso país é uma nação nova e, por causa disso, não teve tempo de se desenvolver. Isto é puro fiasco, pois países como a Austrália e a própria Coréia do Sul, por exemplo, são nações mais novas que o Brasil e apresentam um nível de desenvolvimento muito superior. Então, não há como tapar o Sol com a peneira e tentar justificar o injustificável como sempre fazemos em nome da nossa obesa passividade. Deveríamos ter vergonha da nossa situação e tomar uma atitude muito mais pró-ativa em relação às políticas públicas do nosso país. Ele está assim por nosso total descaso com a política, a qual foi gradualmente deixada nas mãos daquilo que a gente possui de pior em nosso país: os políticos.

Assim, acredito que as empresas do Brasil possuem um papel fundamental no processo de educação dos brasileiros. Mas quando escrevo sobre educação, me refiro ao conceito mais amplo possível da palavra (e não apenas “diploma”, como me referi na postagem anterior) e aqui, em particular, focado no público adulto. Isto porque as mudanças devem começar com os adultos e não com as crianças em um futuro hipotético e também porque seria uma iniciativa inviável para as empresas, embora haja muitas corporações que investem em educação fundamental direta ou indiretamente através de seus programas de responsabilidade social. Como forma de compensar a fraqueza do ensino no Brasil, seja em escolas ou universidades, seja em cursos públicos ou privados, as empresas podem e devem suprir essa lacuna com cursos, treinamentos e ensinamentos das mais criativas formas, alterando completamente o seu enfoque para não amargarem um período de recessão e queda nas vendas por conta da combinação da situação da nossa economia com o baixo nível educacional em nossas empresas. Isso porque se a gente for esperar por alguma atitude por parte do governo em relação à educação, vamos morrer sem testemunhar qualquer alteração nesse quadro.

Se a qualificação profissional é um problema e encontrar o profissional certo transformou-se na busca por uma agulha em um palheiro, precisamos fazer algo a respeito e parar de ficar apenas reclamando. Se quisermos ser muito mais competitivos tanto no Brasil quanto no mercado internacional, temos que investir pesado em educação dentro de nossas empresas. Investindo em nossos colaboradores através de cursos, palestras, treinamentos e capacitação através de bons exemplos, proporcionando um ambiente de trabalho favorável ao aprendizado contínuo é que a gente conseguirá formar a massa crítica capaz de pressionar o poder público e equilibrar as forças com pessoas conscientes nas ruas, do mesmo jeito que fizemos nas Diretas Já em 1984.

Este blog é um oferecimento da Afronta Marketing.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s