Facebook Para Empresas

Marketing Digital
Antes de investir tempo e dinheiro nesta ou naquela mídia social (veja as diferenças entre os termos mídia e rede social na postagem “Marketing em Mídias Sociais”) é importante saber onde o seu público está. Se a sua base de clientes utiliza o Twitter ao invés do Facebook, não faz sentido você começar o seu trabalho pela rede de Mark Zuckerberg em detrimento daquela com maiores chances de conversão. Todavia, independente desta ou daquela ferramenta, eu já mencionei em outras postagens que as pessoas estão cada vez mais dentro das mídias sociais, sendo essa a razão de tantos profissionais de marketing estarem interessados na exploração desse mercado. Entre as opções existentes, o Facebook é sem sombra de dúvida a rede que mais chama a atenção dos profissionais de marketing e das empresas em geral. O Brasil, por exemplo, é o país do mundo onde as pessoas mais gastam tempo dentro do Facebook, alcançando uma média de 8 horas mensais ao passo que a média mundial é de 6 horas e meia.

Outra razão para as empresas estarem dentro do Facebook é a facilidade para criar perfis corporativos com uma série de ferramentas de divulgação e acompanhamento de performance que, embora engessem bastante as ações das empresas, representam uma boa relação custo/benefício em uma mídia gratuita e muito bem acessada. Além disso, o custo com a produção e divulgação de um produto, por exemplo, torna-se bem menor se for comparado com as formas tradicionais de divulgação, fazendo da base já existente um trampolim natural para novos compartilhamentos e novos likes, sem ter que investir na produção de um site novo ou um hotsite a cada lançamento de produto como até pouco tempo atrás era necessário.

Mas como em tudo na vida existe também um lado negativo. Depois da abertura de capital na bolsa de valores NASDAQ em Maio de 2012, a rede de Mark Zuckerberg vem sofrendo mudanças para agradar os acionistas (como ocorre com quase todas as empresas depois que entram no mercado de ações) e gerar mais lucros. Alguns estudos apontam para a diminuição do alcance das postagens, atingindo de 16% a 8% da base de fãs, resultado baixo que o próprio Facebook atribui ao número crescente de usuários com um volume cada vez mais avassalador de informações circulando dentro da rede, fenômeno que causaria muito mais dispersão. Todavia, empresas e profissionais de marketing têm levantado a bola de que isso tem sido feito propositadamente para obrigar as empresas a anunciarem mais dentro do Facebook, uma vez que essa mudança ocorreu de uma hora para outra, muito “coincidentemente” após o IPO (Initial Public Offering) na NASDAQ.

É muito difícil saber qual alegação é a verdadeira mas o que não dá para negar é o fato de todos nós estarmos a mercê do Facebook. É a rede de Zuckerberg que manda e desmanda em seu próprio território, sendo comum as mudanças de regras sem qualquer aviso prévio aos usuários, sejam eles pessoas físicas ou jurídicas. Como consequência, um árduo trabalho de meses na geração de likes, por exemplo, pode ser sucumbido pelo seu concorrente que simplesmente pagará para falar com essas mesmas pessoas através dos anúncios. Aliás, anúncios em formatos de postagens no meio do fluxo central de atualizações (páginas sugeridas) já se tornaram comuns, havendo muito mais espaço para a publicidade do que havia antes no Facebook. Se por um lado isso é bom para os anunciantes (afinal, trata-se da ampliação e refinamento do sistema de anúncios segmentados da maior mídia social do mundo), por outro começa a gerar uma certa antipatia dos usuários ao ceder cada vez mais espaço para as pressões capitalistas. Quem vencerá essa briga de braço ainda é uma incógnita mas é muito útil estar bem informado para não ser pego de surpresa após uma mudança brusca que deixe o seu negócio totalmente vulnerável.

É por isso que eu bato na tecla da presença multifacetada dentro da Internet, sendo essa a própria essência daquilo que é o Marketing Digital. É legal estar presente dentro do Facebook? Pelas razões que eu descrevi até agora é claro que trata-se de uma tática recomendável. Mas pensar nisso de forma isolada, ainda mais sem um planejamento que justifique tal decisão não é uma atitude muito inteligente. Independente da mídia ou rede social que está bombando no momento, o importante é você ter a sua própria casa dentro da Internet (seu site ou seu blog) ao invés de estar sujeito aos mandos e desmandos de uma “casa alugada” dentro da grande rede. Ao optar por uma presença distribuída dentro da Internet, sua empresa previne-se contra mudanças indesejáveis nas regras do jogo, garantindo mais solidez e menos desperdícios de tempo e dinheiro em uma mídia da moda.

Este blog é um oferecimento da Afronta Marketing.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s