Marketing e Estratégia

Palavras simples como “marketing” e “estratégia” vem sendo ultimamente utilizadas para definir tudo quanto tipo de coisa, inclusive conceitos incorretos, situação que gera muita confusão por aí no mundo das pequenas e médias empresas. A confusão mais comum é achar que marketing é a elaboração de um anúncio em jornal, o desenvolvimento de um site ou um comercial de rádio. E ainda mais severa é a ignorância em relação ao sentido do Marketing Digital, sendo frequente a suposição de que significa fazer um site, montar uma Fan Page no Facebook ou enviar e-mail marketing. E o que é pior: muitas vezes vejo pessoas confundindo a manipulação do Photoshop, CorelDraw, SlideShare, WordPress, Facebook, dentre outras ferramentas tecnológicas, com o marketing propriamente dito. É aquela clássica situação do “sobrinho”, quando um parente ou um conhecido do empresário que acabou de aprender a mexer com uma ferramenta tecnológica é contratado a preço de banana para fazer o site da empresa e o empresário diz que “está fazendo marketing”. Com o intuito de jogar um pouco de luz nessa absurda confusão, este post vai abordar os dois conceitos e de que forma eles se relacionam.

Para não ser repetitivo, sugiro a leitura das postagens “Investimento em Marketing“, “Marketing É Safadeza?” e “O Que É Marketing Digital?” além da trilogia de vídeos “Introdução ao Marketing Digital” que eu disponibilizo logo abaixo para a definição de Marketing e, mais precisamente, Marketing Digital:


Utilizada inicialmente com objetivos militares, a palavra “estratégia” está intimamente ligada ao planejamento, ferramenta sem a qual você está simplesmente desperdiçando oportunidades e jogando dinheiro no lixo. Saber exatamente o que você faz, onde você quer chegar e quais são os meios necessários para atingir seus objetivos são aspectos fundamentais da sua alavancagem.

E a estratégia envolve necessariamente conhecimento, o qual, dentro da perspectiva do marketing, pode ser traduzido como saber qual é o seu público-alvo, quais nichos de mercado são mais atraentes, que necessidades de consumo são mais prementes, que tendências definirão o mercado no futuro próximo, monitorar os passos da concorrência, como gerar engajamento, de que forma será a comunicação para atingir o público escolhido, que ações tomar para encurtar o ciclo de venda e por aí vai… Trata-se, antes de tudo, do profundo conhecimento das pessoas que queremos atender, mesmo no mercado B2B, ao ponto de saber aquilo que elas desejam, aspiram, motivam e valorizam, para depois elaborar estratégias do que fazer para conquistá-las. E lembre-se que, no contexto do Marketing Digital, a Internet é uma rede de pessoas, não de máquinas. Parece um detalhe por demais óbvio mas é frequentemente esquecido por muita gente, sendo essa uma das razões das pessoas terem dificuldade em entender o poder do Marketing Digital. Não existe separação entre os mundos online e offline. O que existe são pessoas utilizando a Internet para fazer pesquisa, estudar, trabalhar, aprender, conversar com os amigos, resolver problemas, se divertir, fazer negócios, etc. E a sua empresa pode e deve estabelecer, muito além da comunicação, um relacionamento com essas pessoas, transformando-as em clientes satisfeitos.

Com o foco humano na cabeça e os 4Ps sob os nossos pés (leiam a postagem “Os 4Ps” para saber do que isso se trata), a estratégia de marketing deve responder, no mínimo, às seguintes perguntas:

1) Qual é o nosso público-alvo?
2) Qual seria a nossa proposta de valor (Produto ou serviço) para suprir as necessidades ou gerar o desejo desse público-alvo?
3) Como essa proposta seria percebida (benefícios) e quem estaria disposta a comprá-la (estratégia de Preço)?
4) Como atenderíamos esse público (Praça ou Ponto de venda) e que tipo de relação nós teríamos com o cliente?
5) De que forma se daria o faturamento e a otimização do lucro?
6) Quais seriam os pontos fortes e fracos da concorrência?
7) De que forma poderíamos gerar diferenciais?
8) Como seria a comunicação com esse público (Promoção)?

Assim como “estratégia”, a palavra “tática” também possui origens militares e refere-se à forma como o planejamento é colocado em prática. Em marketing, seriam as ações que devemos executar para concretizar metas específicas como geração de leads, vendas, conversão, recompra, fechamento de contrato, etc. Tais ações poderiam ser um evento, um concurso, um anúncio em uma revista segmentada, um folder, um site, uma campanha de anúncios nos Links Patrocinados, etc. Tudo bem amarrado dentro de um Planejamento de Marketing.

Portanto, não podemos confundir mídia (jornal, revista, rádio, outdoor, TV, Internet), ações (palestras, feiras, eventos, etc.) e ferramentas (programas e aplicativos web dos mais variados) com o marketing propriamente dito, haja visto que Marketing envolve estratégia ao passo que o resto são meios, pautados pelo planejamento, de concretizar aquilo que foi definido como objetivo. As ferramentas envolvem profissionais técnicos que vão executá-las de acordo com aquilo que o marketing definiu como uma ação tática para concretizar a estratégia macro. E o profissional de marketing, não necessariamente o operador das ferramentas mas necessariamente o conhecedor do que é possível fazer com elas, conhecedor do business, do modelo de negócio e principalmente do público-alvo, do cliente, das pessoas que serão o target da empresa, será o maestro a coordenar todo o trabalho.

Deu para dar uma clareada nos conceitos de “marketing” e “estratégia” assim como na forma que eles se relacionam?

Este blog é um oferecimento da Afronta Marketing.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s