Publicidade Online: Um Erro de Abordagem.

Brown-TV-exploding

Esqueça a propaganda em horário nobre, esqueça a propaganda em revista, esqueça os banners saltitando irritantemente na frente de um texto que você quer ler na Internet, esqueça a interrupção. A publicidade sempre foi caracterizada pela interrupção, seja durante o seu programa favorito na TV, no meio daquela matéria interessante ao virar a página da revista, no meio de uma conversa de bar com seus amigos por meio de uma ligação em seu celular para vender mais um cartão de crédito, ou saltando na sua frente ao carregar a página de um site que possui um assunto que você está buscando. Ninguém aguenta mais ser interrompido e tem muito profissional do mundo da propaganda que ainda não acordou para essa realidade, tentando abordar a Internet da forma que sempre fez no mundo offline: interrompendo as pessoas para fazer jabá!

Sendo eu mesmo um publicitário de formação, isso vai parecer a maior de todas as heresias mas faça um favor para si próprio e para o mundo ao seu redor: diminua drasticamente o tempo perdido que você gasta vendo TV. Pare de deixar que os outros definam aquilo que você tem que assistir! Esquece isso! Use o seu tempo de forma útil, para aprender uma coisa nova, para ajudar outras pessoas, para construir um futuro melhor, para gerar negócios para a sua empresa. E um dos lugares mais promissores para conseguir tudo isso é justamente a Internet.

Antigamente, quem detinha a informação detinha o poder e decidia, literalmente, aquilo que a gente deveria ler, ouvir ou assistir. Não estou apenas tocando na questão da censura do período militar mas de toda a parafernália midiática para padronizar o conteúdo e nivelá-lo por baixo, infestando nossas mentes com aquilo que é “considerado como bom”. Não se iluda: a manipulação ainda continua a acontecer, quase 30 anos depois do término da ditadura. Afinal, ver quase uma nação inteira parar para assistir o capítulo de uma novela não deixa de ser um conceito ditatorial de conteúdo.

A Internet veio dar um basta nessa questão da interrupção com conteúdo padronizado e unilateral. Mas é preciso encarar a grande rede de forma mais séria e criativa, indo muito mais além das postagens de besteiras no Facebook ou do compartilhamento de vídeos de gatinhos no YouTube! Agindo assim você estará simplesmente contribuindo para que nada mude na sua vida e na vida dos outros! É passada a hora de reverter essa situação pois, com a Internet você lê, assiste e se informa sobre o que quiser a hora que você bem entender! Com ela, você tem o poder de decidir onde vai perder ou investir o seu tempo e isso é revolucionário! Retome as rédeas da sua vida: elimine o tempo gasto com TV e transforme você ou a sua empresa em algo melhor que a própria televisão, gerando conteúdo que seja verdadeiramente útil para os seus clientes!

Television is a drug. from Beth Fulton on Vimeo.

E impressionante como ainda existem tantos profissionais de propaganda e marketing que tentam aplicar à Internet os mesmos paradigmas das mídias de massa, sendo isso um inaceitável absurdo! Aquilo que eu defino na primeira postagem deste blog como a Era da Criatividade é uma abordagem completamente diferente: em um mundo saturado de conhecimento e informação como é o mundo da Internet, ter a informação não é mais importante (conforme sempre foi no mundo offline) e sim a maneira como utilizamos a informação para construir coisas novas! Aí é que está o verdadeiro pulo do gato!

Na Era da Criatividade, o que vende são ideias e não publicidade. São relacionamentos e não uma mensagem unidirecional. E é por isso que eu fico pasmo com as empresas que utilizam a Internet de acordo com os mandamentos da década de 1990 ou, quando são um pouco mais atiradas, acreditam que a Internet é uma extensão da TV aberta utilizando o paradigma da interrupção para tentar vender seus produtos e serviços. Esqueçam isso de uma vez por todas!

Passou da hora de você utilizar a Internet de uma maneira útil para o seu negócio. Vendas ocorrem por meio de relações e tais relações só acontecem em torno de ideias e não de banners piscando intermitentemente na frente do seu cliente. Anúncios e banners não geram buzz, não geram emoção, não geram engajamento. Isso só é conseguido com estórias e relações entre as pessoas. Espalhe ideias e conquiste fãs através do seu próprio trabalho, do seu próprio discurso, do seu próprio mailing. Aprenda a ouvir o seu público e discuta coisas que interessam a ele. Conteúdo útil é a moeda de troca da Internet. Portanto, não subestime o seu público com jabá barato e conteúdo de valor questionável, para dizer o mínimo. O público que utiliza a Internet é geralmente melhor informado, muitas vezes melhor informado do que você.

Então pare de agir feito a Globo! Pare de interromper as pessoas, principalmente na Internet!

Este blog é um oferecimento da Afronta Marketing.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s