Miopia em Marketing

É impressionante como ainda existem empresas por aí que subestimam, e muito, o poder da Internet. Empresas inclusive com um capital razoável mas que investem pouco em marketing, sendo a Internet ainda mais menosprezada por tais organizações. Investe-se no setor administrativo, em finanças, contrata-se profissionais que só geram despesas e pouco é investido em geração de receita, ou seja, em pessoas que estejam diretamente envolvidas com marketing e vendas. A Internet, por sua vez, é ainda mais negligenciada, encarada frequentemente como um simples cartão de visita, resumindo-se a um site atualizado a cada 2 ou 3 anos, com conteúdo inexpressivo e de pouca utilidade para os clientes dessas mesmas empresas. Por que isso acontece?

Theodore Levitt já havia alertado sobre a Miopia em Marketing em 1960, argumentando que as empresas eram muito centradas no produto e pouco focadas nos clientes. Mesmo 52 anos mais tarde e embora aqui o assunto possa parecer outro, a mesma displicência com os clientes pode ser contextualizada, já que a Internet nada mais é do que uma rede de gente!

Existe uma tendência das pessoas acharem que a Internet é uma rede de computadores apartados do reino humano e esse é um erro crasso! A Internet não existe sem os seres humanos e um site feio, mal-projetado e sem conteúdo nada mais é do que uma uma cidade fantasma, sem qualquer utilidade na Internet. E consequentemente sem qualquer utilidade para os seres humanos. Faça um teste e tente encontrar sua empresa nos primeiros resultados de busca ao digitar uma palavra ou expressão que tenha relação com o seu negócio. Se a sua empresa estiver bem posicionada nos primeiros resultados da primeira página, meus parabéns! O Google considera relevante o site da sua empresa, sendo automaticamente relevante para os seus clientes também. Do contrário, você estará desperdiçando oportunidades de negócio, negligenciando o seu público-alvo e dando chances para o seu concorrente tirar clientes em potencial de dentro do seu território na Internet.

Para entender porque a Internet é uma rede de pessoas em uma camada mais aprofundada, temos que entender um pouco como o Google funciona. Primeiramente, uma pergunta: alguém já se perguntou como o Google trás resultados de busca tão rápidos em frações de segundo? Ele não varre a Internet inteira para trazer os resultados em um piscar de olhos para você. Ele varre sua imensa base de dados e é justamente por isso que ele consegue ser tão rápido. O Google possui programas de computador, chamados de Googlebots (também conhecidos como bots ou crawlers) que, de tempos em tempos, varrem a Internet em busca de novidades e assim vão atualizando sua gigantesca base de dados em seus data centers ao redor do mundo. Desta maneira, os sites que o Google mostra nem sempre são atuais; são espelhos daquelas páginas que estavam no ar quando os Googlebots as visitaram.

Por isso que eu bato na tecla da presença dinâmica dentro da Internet, sendo esse um dos critérios utilizados pelo Google para considerar um site como relevante em um determinado assunto. Encarando os Googlebots como criaturas pensantes, eles concluiriam o seguinte ao passarem pelo site da sua empresa: bom, já passamos por aqui 2 vezes nas últimas 2 semanas e nada mudou. Então, não vamos gastar o nosso precioso tempo de processamento à toa (lembrem-se que tempo de processamento em um data center é dinheiro!). Vamos passar por aqui uma vez por mês. E se depois de uma vez por mês a situação permanece a mesma, eles repensam a estratégia e começam a passar uma vez a cada 2 meses e assim por diante, jogando a posição do seu site lá para trás nos resultados de busca.

Em suma, o Google não guarda os sites em seus data centers e sim o conteúdo desses sites em sua gigantesca base de dados. Ao fazer uma busca e depois clicar na opção “em cache” e, na sequencia, na opção “versão somente texto” você confirmará que o Google considera apenas os textos do seu site. Desta maneira, quando um cliente em potencial digita algo no campo de buscas do Google, ele vai buscar em sua base de dados ao redor do mundo os sites que contenham essas palavras. Se a palavra ou expressão digitada não for encontrada dentro do site da sua empresa, o Google não indexará o seu site nos resultados de busca daquele cliente em potencial. Por isso que é tão importante saber aquilo que seus clientes estão buscando dentro da Internet! Não deduza, pesquise aquilo que eles estão digitando através da Ferramenta de Palavras-Chave. Lembra do alerta do Levitt? Foco no cliente e não no produto? Pois é… Eis aqui o ponto onde tudo converge.

Embora a tecnologia seja cada vez mais complexa e sofisticada, tudo acaba se resumindo em conhecer as necessidades de seus clientes. Esqueça essa besteira de mundo online e offline. É tudo uma coisa só. Aqui, 52 anos mais tarde, o conceito de Miopia em Marketing passa a ser revisitado, sendo nada mais do que o menosprezo pelo seu cliente naquele momento que ele mais precisa de você: quando ele digita uma palavra ou expressão que tenha relação com aquilo que a sua empresa produz ou comercializa.

E então? Vai mudar o seu conceito sobre a Internet, passando a vê-la como uma rede de pessoas (clientes) ou vai continuar usando óculos fundo de garrafa?

Este blog é um oferecimento da Afronta Marketing.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s