Como Atrair Clientes

Como atrair clientes

Calma lá. Não fique achando que existem fórmulas mágicas, mães de santo, encantamentos e outras coisas do gênero para atrair clientes no estilo daquelas promessas baratas para atrair a pessoa amada. Se tudo fosse assim tão fácil, o mundo seria um lugar absurdamente diferente daquilo que vivenciamos hoje. Além de não ser uma tarefa nada fácil, a arte da conquista de clientes depende de um item cada vez mais escasso hoje em dia: a atenção. Isso mesmo, a atenção!

Numa sociedade cada vez mais ocupada, cada vez mais perdida em um gigantesco universo de informações que não para de crescer, com cada vez mais concorrentes, opções de escolha e cada vez mais fatores de distração brigando para chamar a nossa atenção, não será sendo igual a todo mundo que a sua empresa conseguirá que um cliente perceba a sua existência. É como esperar que alguém na arquibancada do estádio do Morumbi, entretido com um show de rock, reconheça você na pista com outras 3000 pessoas pulando e cantando ao seu redor.

E aí a “sabedoria convencional” orienta que você deva enviar um e-mail sem permissão ou fazer um telefonema para interromper o seu cliente em potencial com uma oferta que você acredita ser imperdível, simplesmente por que você precisa bater a sua meta de vendas. O problema é que essa pessoa que você quer conquistar está atarefada com 1000 outras coisas, com outros 1000 caras iguais a você tentando fazer a mesma coisa que você faz. Do ponto de vista dessa pessoa que você deseja ter como cliente (caso você ainda tenha tido a sorte de chamar a atenção dela ao invés de irritá-la) você será, no máximo, igual a todo mundo. E o que é pior: seu cliente em potencial precisa escolher alguém dentre tantas opções existentes, sendo que na correria do seu dia a dia a única forma que ele dispõe de fazer essa distinção rapidamente é através do preço.

Um dos grandes mestres do marketing contemporâneo, Seth Godin, criou a analogia da vaca roxa, a qual encaixa-se muito bem nesta situação. Sua teoria postula que da mesma forma que um grupo de vacas pastando ao lado de uma estrada não chama a atenção de ninguém por ser um evento comum, se tiver uma vaca roxa no meio do grupo isso sim será algo notável, fazendo com que automóveis parem no acostamento para observar de perto e até tirar fotos do exótico animal. Embora tal analogia seja o retrato do que se passa na Internet, ela encaixa-se como uma luva para o mundo offline também. Em resumo, você precisa ser notável para conseguir atrair clientes. Ou em outras palavras, sua empresa precisa parecer atraente para atrair.

Veja abaixo a palestra legendada de apenas 17 minutos (promovida pela também notável organização TED, a qual você não pode deixar de explorar quando tiver mais tempo) onde Seth Godin explica a analogia da vaca roxa:

Em um mundo com cada vez mais opções de escolha e cada vez menos tempo, é normal que a pessoas ignorem cada vez mais coisas. Sua empresa precisa ser diferente, atraente, enfim, precisa ser uma vaca roxa para ser notada e valorizada em seu mercado.

Uma das razões do marketing existir é justamente promover essa transformação, chamando a cada vez mais preciosa atenção das pessoas para uma idéia, um conceito ou um produto. Se não tiver um profissional de marketing disponível na sua empresa, você mesmo pode começar o processo de atração de clientes com as 4 dicas abaixo:

  • Busque a diferenciação para atrair clientes, abandonando aquela fórmula de anos que parece não funcionar mais. Pare tudo, repense e faça um planejamento de como as coisas serão de agora em diante.
  • Segmente melhor o seu mercado e comece a produzir conteúdo na Internet sobre assuntos que estejam relacionados com seu produto ou serviço de uma maneira única, com a personalidade da sua empresa. Lembre-se que você não tem que agradar todo mundo. Você tem que agradar apenas os seus clientes. Então segmente! Comece escrevendo apenas para aquelas pessoas que realmente se importam com o seu produto ou serviço. Como mostrado no gráfico do vídeo acima (9:58), eles seriam os “innovators” e os “early adopters“.
  • Um blog pode ser um bom começo para essa empreitada. Mas cuidado para não fazer jabá. Um blog corporativo não é lugar para tentar vender nada. Se sua empresa é uma software house, por exemplo, escreva sobre a importância da automação de processos administrativos, sobre as últimas tendências de uma tecnologia específica ou sobre como é possível reduzir os custos operacionais com a ferramenta XYZ.
  • Produza vídeos sem grandes frescuras falando sobre tais dicas com o seu próprio smartphone e jogue isso no YouTube, redirecionando o link do YouTube para o seu blog. Lembre-se sempre que o mais determinante é chamar a atenção das pessoas e não efetuar uma superprodução hollywoodiana. Com um pouco de criatividade, talvez você consiga até produzir um vídeo viral.

Volto a dizer: estou longe de querer insinuar que a coisa seja fácil. Mas se você conseguir ser notável como uma vaca roxa e depois cativar os “innovators” e os “early adopters“, esse seleto grupo de pessoas se encarregará de espalhar a sua marca e os clientes virão até você como formigas atrás de açúcar.

Este blog é um oferecimento da Afronta Marketing.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s